4 Erros Comuns na Utilização do Cartão de Crédito

erros-cartao-de-credito 4 Erros Comuns na Utilização do Cartão de CréditoUtilizar um cartão de crédito sem ter algumas noções sobre as suas condições pode ser um tiro no escuro, uma vez que a sua vida financeira fica em risco. Visto que informações como a pontuação ou o histórico de crédito estão hoje à distância de um clique, a utilização de um produto financeiro fica muito mais facilitada. Em baixo mostramos uma lista de 4 erros em que muitos utilizadores habitualmente incorrem quando usam um cartão de crédito.

1. Paga o mínimo de dívida do cartão

É tentador pagar a prestação mínima mensal quando se encontra num período de pressão financeira. Não o faça.

Isto porque não só nunca mais vai acabar de pagar o débito, como as taxas de juro que a instituição financeira cobra vão aumentar a cada mês. Por isso, tente pagar a prestação mais alta que conseguir.

Quando possível, tente reduzir custos noutras despesas para focar-se em saldar a dívida do cartão. Pode valer a pena cortar em extras como televisão por cabo ou roupas novas por algum tempo, caso isso signifique que consegue dormir melhor sabendo que rapidamente estará livre da dívida.

Pode não sentir que está a poupar dinheiro quando aumenta os pagamentos do cartão, mas está. Dependendo da taxa de juro corrente, pode poupar uma média de 10% a 29% por ano em juros em qualquer saldo que pretenda liquidar. Tal significa que, se pagar €1,000 de dívida este ano, daí podem advir €100 a €290 de poupança, dependendo do juro.

Se já está em dívida, é provável que esteja apertado, por isso libertar algum dinheiro extra pode mesmo dar-lhe mais margem de manobra a longo prazo. Quer seja para acelerar ainda mais a liquidação da dívida, começar um fundo de emergência ou investir na reforma, os juros vão começar a trabalhar para si em vez de contra si.

2. Recorre a muito cash advance

Esta função, associada aos cartões de crédito, possibilita fazer levantamentos em dinheiro nas ATMs com o cartão de crédito. Porém, esta característica tem custos associados muitas vezes desconhecidos pelos utilizadores.

Normalmente, os bancos cobram uma comissão por este processo, que inclui um valor fixo por operação e uma percentagem sobre o montante disponibilizado.

Os bancos e instituições financeiras de crédito utilizam várias táticas, tais como enviar cheques com alguma regularidade – uma vez por semana, por exemplo – e incentivá-lo a usá-los para pagar contas ou comprar algo que goste, mencionando apenas nas letras microscópicas que esses cheques são considerados adiantamentos financeiros.

A principal razão por que recorrer a cash advance é má ideia é porque começa a acumular juros no minuto em que o recebe e, ao contrário das compras com o cartão, não existe um prazo de tolerância.

Para agravar a situação, a instituição financeira muitas vezes não considera que o cash advance seja pago até não ter pago o débito de outras compras.

A melhor coisa a fazer com estes cheques é cortá-los assim que os recebe. Deste modo, evita a tentação de usá-los e que ladrões de identidade o usem a partir do seu lixo.

3. Utiliza o cartão para compras comuns

Tenha em mente que o plafond associado ao cartão de crédito não lhe petence: é emprestado por uma instituição financeira. Tal facto deve ser suficiente para que tente evitar usar o cartão para despesas correntes.

Salvo raras exceções, deve ter o orçamento suficientemente controlado para que consiga pagar as necessidades básicas mensais com o seu ordenado. Ao manter as compras essenciais fora do radar do cartão de crédto, tais como alimentação e contas de serviços, está a dar um passo importante no que toca a manter custos controlados.

Por exemplo, imagine um pacote de leite que custe €0,80; caso o compre com cartão de crédito, rapidamente pode ascender a €8 se não pagar o saldo no final do mês. Como vê, não há necessidade de incorrer em cobranças de juros em bens essenciais que deveria pagar com o seu salário.

4. Não conhece as vantagens associadas

Muitas pessoas desconhecem, mas os cartões de crédito trazem, normalmente, várias vantagens associadas, para além do crédito em si. Esses benefícios traduzem-se em seguros, acumulação de milhas aéreas para comprar viagens, cashback (devolução de uma percentagem das compras efetuadas com o cartão), ou descontos em serviços ou produtos de parceiros.

Tendo isto dito, deve analisar e saber quais os benefícios associados ao cartão de crédito que utiliza, de modo a poder tirar vantagem de tudo o que oferece.

Este artigo foi produzido pela equipa do ComparaJá.pt, a mais recente plataforma online de agregação e comparação de produtos financeiros em Portugal, como cartões de crédito e crédito pessoal.

Comentários

comentários

1 resposta

  1. Luciano diz:

    Essas são dicas importantes para evitar o endividamento. Desses erros citados o que acho mais importante é a questão do pagamento mínimo, que deveria ser alterado de forma a não induzir as pessoas ao erro. Explico, caso não estivesse o valor em destaque, como assinar “X” num contrato, as pessoas escapariam dessa prática, e que fossem estimulados e valorizassem o pagamento integral da fatura sempre.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Receba este Ebook Grátis!

Ao subscrever a nossa Newsletter (100% gratuita), para além de receber este ebook, ainda passará a ser alertado via email para:

  • Dicas de poupança
  • Dicas sobre formas de obter rendimentos extra
  • Passatempos e outras ofertas exclusivas
Fechar esta janela

Não perca mais tempo. Envie-nos o seu email e em breve estará a ver como valeu a pena!

Não se preocupe, o seu endereço de email nunca será divulgado a terceiros.