Constituir um Fundo de Emergência

porco-mealheiro-rapariga Constituir um Fundo de EmergênciaConstituir um fundo de emergência é algo fundamental, ainda para mais na altura em que estamos. Com a situação económica que estamos a viver é sempre bom ter um plano de emergência caso algo corra menos bem. Até porque nunca se sabe quando é que um dinheirinho extra pode fazer toda a diferença.

Assim sendo, neste artigo vamos explicar-lhe como pode fazer um fundo de emergência.

O que é um fundo de emergência?

Um fundo de emergência é basicamente um “pé-de-meia” para utilizar em caso de necessidade. Ou seja, para questões de saúde ou para a infelicidade de perder o seu emprego. Coisa que, infelizmente, acontece muito hoje em dia.

Como fazer um fundo de emergência?

  • Faça contas. Fazer contas é muito importante pois só assim sabe o quanto gasta todos os meses e a quantidade que sobra. Assim sendo, contabilize todas as suas despesas fixas. Por exemplo, água, luz, gás, transportes, habitação, saúde, alimentação, ensino e etc. Calcule também uma margem para despesas extra.
  • Some tudo. Depois some tudo e multiplique a quantia mensal por três ou seis meses (três é o mínimo indicado e a partir de seis meses é o recomendado).
  • Mantenha-se positivo. Mesmo que não consiga reunir de uma só vez a quantia necessária, não desanime. O importante é manter o espirito positivo.
  • Faça um esforço. Depois de ter constituído o fundo de emergência, faça um esforço adicional para poupar mais algum dinheiro. Por exemplo defina uma quantia e tente pô-la de lado todos os meses. Como se costuma dizer “grão a grão enche a galinha o papo”.
  • Aplique o seu dinheiro. Os bancos têm sempre várias opções de investimento. O truque é optar por algo seguro e rápido a mobilizar. Por exemplo depósitos a prazo. É aconselhável fazer várias aplicações do seu dinheiro em diversos locais. Existem também os investimentos mais lucrativos que são também de maior risco. Estes não são muito aconselháveis uma vez que pode ter azar e perder o capital investido.
  • Utilize o bom senso. Este fundo deve apenas ser utilizado em casos extremos de necessidade. Por isso, não lhe mexa até que seja verdadeiramente necessário. Esqueça-se de que ele existe. A única altura em que se deve lembrar dele é para juntar mais dinheiro ao fundo.

O grande problema…

Atualmente o grande problema é que as pessoas gastam o dinheiro à medida que precisam mas raramente param para fazer as contas à quantia de dinheiro que gastam por mês. E, em muitos casos, a quantidade de dinheiro poupado é nula. Fazer contas à vida é essencial. Não se esqueça disso.

Tem o hábito de ter um fundo de emergência ou está a pensar criar um agora? Partilhe connosco a sua opinião.

Texto da autoria de Sara Guiomar

Comentários

comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Receba este Ebook Grátis!

Ao subscrever a nossa Newsletter (100% gratuita), para além de receber este ebook, ainda passará a ser alertado via email para:

  • Dicas de poupança
  • Dicas sobre formas de obter rendimentos extra
  • Passatempos e outras ofertas exclusivas
Fechar esta janela

Não perca mais tempo. Envie-nos o seu email e em breve estará a ver como valeu a pena!

Não se preocupe, o seu endereço de email nunca será divulgado a terceiros.