Pagar o parquímetro por telemóvel e evitar multas

parquimetro Pagar o parquímetro por telemóvel e evitar multasSe já teve a infelicidade de ser multado, deparar-se com o carro bloqueado ou vê-lo ser rebocado devido a falha no pagamento do estacionamento, esta notícia é especialmente direccionada a si! 🙂

História fictícia baseada em factos verídicos:

Estacionei o carro, recheei o parquímetro com moedas suficientes para meia-hora, mas por azar o meu compromisso lá acabou por demorar um pouco mais do que estava previsto.

Regresso ao carro e ainda à distância reparo num maldito folheto agarrado ao para-brisas… já suo por todo o lado imaginando o “tombo” para pagar… Mas estou em maré de sorte e o que parecia ser uma multa é apenas um flyer da inauguração de um novo talho! Altamente… já fazia falta um talho ali na zona! 😀

Brincadeiras à parte, quantos de nós já não passaram por uma situação semelhante!? Uns com um final mais feliz do que outros, claro!

Mas agora existe uma forma de evitar que isso aconteça. Pelo menos em alguns pontos do país.

PAGUE O PARQUÍMETRO ATRAVÉS DO SEU SMARTPHONE E POUPE DINHEIRO

Existem aplicações para telemóvel que permitem efectuar o pagamento do parquímetro, assim como reforçar pagamentos já efectuados.

Por exemplo, com a aplicação da EMEL instalada no seu smartphone (a ePark), já não precisa de andar com trocos ao estacionar o carro em Lisboa. Simplesmente estaciona, informa esse inicio de estacionamento na aplicação e segue à sua vida. Depois, quando regressar ao veículo, informa novamente a aplicação e assim apenas paga o tempo que realmente utilizou.

Assista ao seguinte vídeo para compreender melhor esta inovação:

Como deverá ter reparado no vídeo, esta solução não está para já presente em todo o país. As aplicações e respectivos locais que são monitorizados (à data deste artigo) são:

  • ePark: Lisboa
  • Pay Simplex: Oeiras e Cascais
  • MEO Parking: Águeda, Bragança, Coimbra, Évora, Fátima, Loures, Sintra e Vieira do Minho.
  • iParque: Açores, Madeira, Aveiro, Loulé e Portimão.
  • eos: Amadora, Beja, Faro, Figueira da Foz, Lagos, Portimão, Sesimbra, Setúbal, Vila Nova de Gaia e Vila Real

Cada aplicação funciona de forma diferente. O modo de pagamento também difere entre aplicações.

Algo que não vi mencionarem no vídeo é que, obviamente, esta aplicação necessita de aceder à internet. Ou seja, caso não exista WiFi gratuito nas proximidades, poderá ser necessário activar os dados móveis no smartphone, o que implica, em alguns casos, custos extra para o utilizador.

O ideal seria abolirem os parquímetros, mas se temos de “conviver” com eles, então que ao menos nos seja facilitada a tarefa.

Comentários

comentários

4 respostas

  1. Dav7 diz:

    Nem me fales em “História fictícia baseada em factos verídicos”, já levei uma multa e tive o carro rebocado (por sorte fui de boleia na carrinha da EMEL busca-lo), mas desde que tenho esta app nunca mais me preocupei com estacionamento 🙂

    Não tinha visto esta reportagem e era daqueles que pensava “como é que eles sabem que estou a pagar o estacionamento?”, agora já sei!

    • Miguel diz:

      Então até foi porreirinho… tiveste o privilégio de dar um passeio na carrinha da EMEL… 😀
      Pena aqui para os meus lados ainda não existirem soluções deste género.

  2. Ana Barreto diz:

    Paguei o parquimetro com esta app e fui multada na mesma!

  3. Kokas diz:

    Nao funciona bem Carreguei com 10 euros e gastei 60 centimos num estacionamento e agora nao me deixa ter acesso nem me diz como faze la se vai o meu dinheiro

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Receba este Ebook Grátis!

Ao subscrever a nossa Newsletter (100% gratuita), para além de receber este ebook, ainda passará a ser alertado via email para:

  • Dicas de poupança
  • Dicas sobre formas de obter rendimentos extra
  • Passatempos e outras ofertas exclusivas
Fechar esta janela

Não perca mais tempo. Envie-nos o seu email e em breve estará a ver como valeu a pena!

Não se preocupe, o seu endereço de email nunca será divulgado a terceiros.