Saiba como poupar ao reduzir os custos dos seus créditos

endividado Saiba como poupar ao reduzir os custos dos seus créditosVive em casa própria e tem um crédito habitação associado? Contraiu um crédito pessoal para pagar os estudos dos seus filhos? Comprou um carro e está a pagá-lo a crédito? As últimas férias ainda estão a ser debitadas na sua conta?

Feitas as contas, tem tantas prestações por mês, e tão altas, que já não sabe para onde se virar? Então, este artigo é para si.

Sabia que pode agrupar todos os seus créditos ficando, apenas, com uma prestação mensal? Se acumula tantas prestações que já não tem folga orçamental, a solução pode passar por um crédito consolidado.

SOLUÇÃO: CRÉDITO CONSOLIDADO

O crédito consolidado é a solução que lhe permite reunir todos os créditos num só. Resultado: um único credor e apenas uma prestação, significativamente, mais baixa do que a soma de todas as que tem neste momento. Em números, a poupança pode atingir os 70%! O banco, ou a entidade de crédito, pagará tudo o que deve e assumirá as suas dívidas, contudo, agrupando os créditos e baixando o valor da prestação, o prazo de pagamento será alargado.

Existem duas opções quando se fala de crédito consolidado: com hipoteca ou sem hipoteca. Algumas entidades exigem garantia hipotecária, ou seja,  terá que ter casa própria, mesmo que tenha um crédito habitação associado. Com esta opção consegue melhores condições, todavia, se algo correr mal, pode ficar sem a casa. Na opção sem hipoteca encontra alguns obstáculos: é mais difícil de conseguir, tem condições menos atrativas, a poupança é bastante inferior e o prazo é mais curto.

VANTAGENS E DESVANTAGENS DO CRÉDITO CONSOLIDADOcasal-contas Saiba como poupar ao reduzir os custos dos seus créditos

Resumidamente, conheça as vantagens e desvantagens do crédito consolidado.

Vantagens

  • Reduz a prestação mensal até 70%
  • Fica apenas com uma mensalidade
  • Paga apenas a uma entidade
  • Com a economia, pode aumentar as suas poupanças
  • Ganha margem orçamental

Desvantagens

  • Não pode ter incidentes bancários
  • Não pode ter prestações em atraso
  • Aumenta, consideravelmente, o prazo
  • Fica a pagar menos por mês, mas a dívida aumenta
  • Pressupõe a hipoteca de um imóvel

Por fim, agora que vai reduzir alguns custos mensais, considere fazer algumas alterações na sua gestão orçamental. Não há soluções perfeitas mas talvez consiga fazer alguns ajustes que o ajudem a gerir melhor o seu dinheiro. Comece por ter em consideração estes números:

 Idealmente, deve dividir, percentualmente, o seu orçamento em quatro parcelas:

  • Habitação – 35%: nesta entram todas as despesas relacionadas com a renda, condomínio e seguros, água, luz, gás internet, telefone, alimentação e despesas diárias.
  • Poupança – 10%: valor que deve guardar, religiosamente, no início de cada mês.
  • Alimentação e compras – 25%: almoços ou jantares fora de casa, lazer e férias.
  • Transportes – 15%: despesas com prestação do carro/mota e seguro.

Outros empréstimos – 15%: para prestações relacionadas com crédito pessoal e cartões de crédito. Evite o sobre-endividamento! Opte por somar este valor ao da sua poupança!

Comentários

comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Receba este Ebook Grátis!

Ao subscrever a nossa Newsletter (100% gratuita), para além de receber este ebook, ainda passará a ser alertado via email para:

  • Dicas de poupança
  • Dicas sobre formas de obter rendimentos extra
  • Passatempos e outras ofertas exclusivas
Fechar esta janela

Não perca mais tempo. Envie-nos o seu email e em breve estará a ver como valeu a pena!

Não se preocupe, o seu endereço de email nunca será divulgado a terceiros.