A pensar pedir um Empréstimo Pessoal? 10 Dicas para ajudar na sua decisão

Pedir crédito pessoal é uma decisão importante. Saiba como ponderar a sua decisão da melhor forma.
Crédito Pessoal

Solicitar crédito a uma entidade financeira acarreta responsabilidades. Implica um compromisso que deve ser pensado de forma rigorosa e estruturado da melhor maneira para que possa ser sustentado ao longo da sua vigência. Assim, ao pedir crédito pessoal devem ser ponderados todos os fatores e colocadas todas as hipóteses para que a melhor decisão possa ser tomada. Elaborámos uma lista para o ajudar na decisão:

1. Que tipos de crédito pessoal há?

Há vários tipos de crédito pessoal disponibilizados pelos bancos. O crédito pessoal, para aquisição de bens e pagamento de serviços, o crédito automóvel para financiar a aquisição de um veículo, e o mais vulgar cartão de crédito. Antes de tomar qualquer decisão sobre este tipo de empréstimos pessoais devem ser pesados todos os fatores, com todos os prós e contras a estes inerentes.

2. Avalie a necessidade de pedir crédito pessoal

Visto que esta é uma decisão que acarreta um compromisso relevante e com impacto nas suas finanças, é importante avaliar até que ponto precisa mesmo de pedir crédito pessoal. Pergunte-se sobre os objetivos do mesmo, projete o seu impacto a curto, médio e longo prazo e tome a sua decisão de forma consciente e informada.

3. Calcule o impacto do crédito pessoal

Calcular a taxa de esforço é um passo importante para perceber até que ponto pedir crédito pessoal é uma solução viável. Este tipo de empréstimos pessoais pode soar tentador, mas vamos aos números: a taxa de esforço é calculada pelo peso dos seus encargos financeiros mensais a partir do rendimento do agregado e não deve ser superior a 30%. É fundamental perceber qual o impacto do crédito pessoal no orçamento mensal – que entra na categoria de encargos financeiros – visto que os prazos de pagamento da prestação costumam ser longos.

4. Escolha o tipo de crédito adequado

Há várias modalidades de crédito pessoal à disposição dos consumidores. Diferentes finalidades implicam custos diferentes. Quer comprar um carro? Precisa de oferecer um novo computador à sua filha? Quer festejar o aniversário do seu casamento com uma viagem a um destino paradisíaco? Defina os seus objetivos de forma clara para depois poder escolher que tipo de empréstimo pessoal pretende contratar.

5. Avalie o mercado

Deve comparar as várias opções de empréstimos pessoais disponíveis no mercado. Assim, pode certificar-se que vai contratar o crédito pessoal mais apropriado às suas necessidades e de acordo com as suas possibilidades

6. Compare diferentes opções

Há vários tipos de empréstimos pessoais. Antes de avançar para uma decisão sobre que tipo de crédito pessoal pedir, informe-se sobre produtos de crédito alternativos. Solicite a Ficha de Informação Normalizada (FIN) para se familiarizar com todas as características do produto de crédito que pretende contratar. Verifique os elementos que constam nesta: a TAEG (Taxa Anual de Encargos Efetiva Global), duração do empréstimo, modalidade da taxa de juro – se fixa, se variável – valor da prestação, garantia exigidas, comissões e encargos em caso de incumprimento.

7. Seja transparente com o banco

No que a empréstimos pessoais diz respeito, pretende-se construir uma relação de confiança e responsabilidade. Por isso, forneça desde logo informações completas e transparentes sobre a sua situação económico-financeira. Só assim o banco poderá avaliar de forma exata o risco do seu empréstimo quando vai pedir crédito pessoal.

8. Leia as letras pequenas do contrato

O conselho pode parecer burocrático, mas não deixe passar qualquer pormenor. Leia com toda a atenção a minuta do contrato relativa ao contrato de crédito pessoal que vai assinar e tire todas as dúvidas com o seu banco.

9. Negoceie com o seu banco

Não é improvável que o seu banco lhe proponha a contratação de outros produtos e serviços na altura de pedir crédito pessoal. Informe-se sobre o custo da contratação de empréstimos pessoais com e sem estes produtos associados. Tenha em atenção que caso os subscreva aquando da contratação, desistir mais tarde pode ter custos associados.

10. Informe-se sobre os seus direitos

É muito importante saber os seus direitos. Por exemplo, é obrigatório saber à partida que tem 14 dias para desistir do contrato de crédito pessoal assinado. Ao fazê-lo, tem que pagar o montante do empréstimo e pagar os juros decorridos no prazo de 30 dias. Outra opção é amortizar o empréstimo, o que pode ser feito desde que informe o seu banco com uma antecedência mínima de 30 dias.


Subscreva a nossa newsletter para ficar sempre a par das novidades e receber alertas de novas amostras grátis e outras oportunidades para poupar e ganhar dinheiro… diretamente no seu email!

Não encontrou a informação que procurava? Faça uma pesquisa aqui:

Talvez lhe interesse:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Partilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Sugestão de leitura

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.