Aeroporto

Se está a pensar em ir morar e trabalhar para fora do país, este artigo é para si. Saiba como fazer um currículo adequado!

Todos nós já pensamos, ou conhecemos alguém que já pensou ou até mesmo está, fora do país a trabalhar. Dependendo do país para o qual se quer emigrar, há que saber como fazer um currículo adequado às necessidades e normas específicas do país em questão.

Para além de saber como fazer um currículo, há também que procurar emprego. Para isso, existem uma série de sites de emprego no estrangeiro que pode visitar e começar desde já a procurar o seu próximo emprego.

No que toca ao modo de como fazer um currículo, a maior parte dos empregadores do estrangeiro gosta de currículos simples e diretos. Para além disso, a inclusão de fotografia é vista muitas vezes como um possível fator discriminatório, pelo que não a deve incluir no seu currículo.

A maior parte das dicas sobre como fazer um currículo podem ser aplicadas para ofertas de emprego quer em Portugal, quer no estrangeiro.

  1. Deixe de lado o formato Europass. O formato Europass foi criado para uniformizar os conteúdos introduzidos no seu currículo. Com uma estrutura fixa e campos específicos para preencher, o Europass é o formato favorito – e requerido! – por algumas vagas de trabalho, tais como as de instituições europeias ou o programa INOV Contacto. No entanto, esta não é a melhor forma de criar um currículo, pois não é diferenciador e tem a informação relevante muito dispersa. Ao criar o seu currículo, opte por outros modelos que o possam diferenciar mais dos outros candidatos.
  2. Limite a informação no seu currículo. A capacidade de síntese é muito importante. Os recrutadores não têm muito tempo para ler currículos, ainda para mais se forem extremamente longos. É importante que consiga colocar toda a informação necessária de uma forma resumida, objetiva e direta. Este é um dos pontos mais importantes no que diz respeito ao modo de como fazer o seu currículo.
  3. A sua localização diz tudo. Ao procurar emprego no estrangeiro é muito importante que a sua morada seja a do país em questão. Pense como um recrutador – será que iria recrutar alguém para uma vaga em Londres, por exemplo, que esteja neste momento em Portugal? A menos que seja para um programa de trainees ou alguém com um currículo muito específico, é muito difícil que assim seja. Se tiver um amigo ou familiar na zona para a qual está à procura de emprego, coloque essa mesma morada no seu currículo. Isto irá certamente melhorar as suas chances de ser contratado.

Dependendo da parte do mundo onde quer procurar emprego, pode e deve adaptar o seu currículo para tal. Aqui fica o resumo de algumas dicas, para uma série de cidades diferentes.

  1. Reino Unido: A forma de como fazer um currículo para procurar trabalho em Londres é a mesma de qualquer outra cidade no Reino Unido. Não utilize o formato Europass e evite colocar uma foto. No Reino Unido, a fotografia do currículo é considerada um possível fator de descriminação, e não é bem visto quando os candidatos acham que é apropriado colocar a fotografia. Crie um currículo simples, sem cores garridas e de preferência a preto e branco, onde resume nas primeiras linhas quais são as suas principais mais-valias. Adapte o currículo à vaga em questão, focando onde é que a sua experiência acrescenta algo à sua possível entidade patronal.
  2. França: Ao criar um currículo para trabalhar em França, a apresentação é um dos pontos mais importantes. Não inclua a sua fotografia, mas dê um ar mais colorido ao seu currículo. Escolha tons agradáveis à vista, mas sem serem extremamente exuberantes. Assim, o seu currículo irá destacar-se dos demais, e mostrar ao recrutador que tem alguma criatividade e que não se importa de arriscar. Deve incluir as suas informações pessoais, estudos e experiência profissional.
  3. Austrália: O modo de como criar um currículo para uma oferta de emprego na Austrália é relativamente parecido com o de Londres. Com um estilo mais sóbrio e de volta ao preto e branco, deve incluir um pequeno parágrafo com um resumo pessoal curto, mas recheado de informação, escrita de uma forma direta e objetiva. Seguidamente, deve incluir um par de linhas onde descreve o tipo de vaga que está à procura – e portanto quais os objetivos que pretende alcançar na empresa para a qual se está a candidatar. Termine esta secção inicial com as suas maiores vantagens, escritas sob a forma de lista e de uma maneira sucinta, mas muito informativa.

Se nunca tinha parado para pensar nisso, é interessante reparar o quão diferentes são os requisitos e as normas aceites pela sociedade para a criação de um currículo em cada país. É de facto uma grande evidência do mundo pluricultural em que vivemos.

Por fim, pode encontrar na internet vários sites para procurar emprego no estrangeiro. O LinkedIn é a maior rede profissional do mundo e é um bom sítio por onde começar, mas tem também uma mão-cheia de sites, que pode encontrar aqui ou clicar em:

A pesquisa pode não ser muito fácil, mas vai de certeza valer a pena. Se quer realmente arranjar trabalho no estrangeiro, nunca desista, lute pelos seus sonhos e o final será certamente muito recompensador. Desejamos-lhe a melhor das sortes! 😉

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.