Demissão do Emprego

Estar cansado do trabalho atual, a vontade de mudar de carreira ou ter um novo desafio são apenas alguns motivos que o podem levar a ponderar pedir a demissão.

Contudo, esta é uma decisão que deve ser ponderada. Considere todos os prós e contras e avalie os motivos que o levam a ter intenção de tomar esta decisão.

Com a ajuda deste artigo, conheça quatro questões fundamentais que deve ponderar antes de pedir a sua demissão.

1. Tenho poupança suficiente?

É importante constituir uma poupança para eventuais emergências. Contudo, no caso de ponderar pedir a sua demissão, deve também considerar o montante que vai precisar para fazer face às suas despesas durante o tempo de desemprego.

Assim, faça as contas às suas despesas e defina o limite máximo que pode estar sem trabalhar. Multiplique as despesas pelos meses e terá a quantia que terá de poupar para que possa pedir demissão de forma confortável.

Se ainda está em fase de decisão pondere todas as formas de poupar, renegoceie as suas subscrições ou consolide os seus créditos, faça um plano para as suas finanças e analise as suas receitas e despesas. Vai surpreender-se com a poupança que vai conseguir nestes pequenos gestos.

2. Tenho um plano para o meu desemprego?

Pedir a demissão sem ter uma poupança e sem um plano traçado não é boa ideia. Trace um plano de ação para o momento em que estiver desempregado: defina prazos limite para fazer coisas como refazer o seu CV, defina um momento para enviar candidaturas e quantas pretende enviar por dia, outro momento para estabelecer contactos e até para participar em eventos de networwing.

Não se esqueça, ter uma boa rede de contactos é uma ótima ferramenta, não só na procura ativa de emprego, como na busca de conhecimento e experiência sobre determinados mercados em que potencialmente queira entrar.

3. Sei quais são os meus direitos e deveres como trabalhador?

Antes de pedir a rescisão do seu contrato de trabalho existem direitos e deveres que deve ter em conta. Por exemplo, saber quantos dias de aviso prévio terá de dar à empresa, os elementos que terá de incluir numa carta demissão ou mesmo se terá direito a usufruir as suas férias, são algumas questões para as quais deve procurar resposta previamente.

4. Como é que a minha demissão vai afetar o meu agregado familiar?

Se tem família constituída, existe um suporte familiar, económico e emocional que deve ser considerado e na tomada de decisão deve também considerar a opinião de todos.

Ainda que o seu agregado familiar seja constituído apenas por uma pessoa, muitos são os casos em que essa pessoa ajuda os pais ou irmãos, por exemplo. Para além da componente económica, existe o apoio e compreensão familiar na decisão que é fundamental neste momento.


A decisão de pedir demissão é um momento de alguma tensão emocional, mesmo em situações em que já existe outra proposta de emprego. Assim, tente manter o seu orçamento controlado e prepare este momento com antecedência. Se a questão financeira não representar uma preocupação adicional, estará mais consciente e seguro da decisão que tomar.

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.