Homem a dormir

Dormir mal é um problema que pode ser um sintoma de diversos distúrbios e doenças do sono tal como as insónias, a apneia do sono ou a narcolepsia. Menos falada que outros distúrbios, será que sabe o que é Narcolepsia?

O que é Narcolepsia?

A narcolepsia é um distúrbio de sono que leva a um excesso de sono incontrolável. Para além das noites mal dormidas, um narcoléptico pode também adormecer durante o dia, seja durante uma reunião ou no meio de um filme.

É uma doença neurológica muito rara, que afeta 1 pessoa em 200 mil, que tem como principais caraterísticas:

  • Hipersonia diurna: a pessoa que sofre de narcolepsia passa por várias fases de sono incontrolável durante o dia, podendo chegar a dormir durante alguns minutos ou horas.
  • Cataplexia: a narcolepsia pode levar a uma perda súbita do tônus muscular, devido às diferentes emoções e tensões energéticas sofridas pelo corpo. A cataplexia pode acontecer de forma aleatória durante o dia, levando que o narcoléptico fique acordado e consciente mas sem conseguir reagir fisicamente.
  • Alucinações: com a narcolepsia podem aparecer alucinações tanto durante a fase de adormecimento, durante o sono e mesmo até durante a fase em que a pessoa está desperta.
  • Paralisia do sono: pode também provocar uma incapacidade de movimento, que se manifesta também a qualquer momento, sobretudo durante o adormecimento e o despertar.

Quais as causas da Narcolepsia?

A origem da narcolepsia ainda não está claramente identificada. No entanto, são vários os especialistas e médicos que tentam descobrir saber o que é narcolepsia no seu todo, sabendo-se hoje que:

  • é uma doença que influencia e mexe com o sistema nervoso;
  • existe uma grande probabilidade que a narcolepsia seja de origem genética;
  • o stress, traumatismo, depressões e outros choques emocionais podem ser algumas causas da narcolepsia.

O diagnóstico da narcolepsia não é fácil de ser realizado. Leva-se em conta sobretudo os sintomas acima indicados e, em ausência da certeza do médico, podem ser efetuados um eletroencefalograma (EEG).

Um EEG é um exame não invasivo que permite avaliar e acompanhar a atividade elétrica cerebral. No caso do diagnostico da narcolepsia, este exame irá conseguir mostrar que o doente cai diretamente na fase paradoxal, sem passar pela fase de sono como a maioria das pessoas.

Quais as consequências da narcolepsia?

Os sintomas imediatos e demasiado imprevisíveis da narcolepsia podem levar a situações muito perigosas para o doente e para as pessoas que estão à sua volta.

A perda do tônus muscular pode provocar quedas e acidentes rodoviários graves.

A sonolência repetitiva e muitas vezes incontrolável durante o dia, pode tornar a realização de tarefas profissionais muito difíceis e até impossíveis.

Quais são os tratamentos da narcolepsia?

Para saber se sofre de narcolepsia, não hesite em contactar um médico, de preferência um neurologista. Como a narcolepsia é uma doença do foro neurológico, um tratamento possível pode ser a toma de medicação para estimular o sistema nervoso. As moléculas estimulantes são o modafinil, o metilfenidato e a metanfetamina.

Alguns medicamentos antidepressivos podem também ser eficazes sobretudo no tratamento do sintoma da cataplexia.

Paralelamente a este tratamento médico, a mudança de hábitos de sono leva a que muitos doentes tenham melhorias no quotidiano. Para além da aplicação de técnicas como diminuir o uso de smartphones e aparelhos eletrónicos antes de dormir ou ainda uma alimentação saudável, outra coisa que um narcoléptico pode fazer é organizar o seu dia para conseguir incluir sestas de pelo menos vinte minutos durante o dia.

A sesta é um hábito essencial para uma pessoa que sofre de narcolepsia!

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.