Apneia do sono

Ter um sono de boa qualidade é essencial não só para estarmos bem mentalmente mas também para a saúde. O sono é um dos elementos fundamentais para uma saúde e para o bom funcionamento do corpo.

Duas das principais causas de mau sono são as insónias e o síndrome de apneia obstrutiva do sono ou simplesmente apneia do sono. Muito falada mas pouco conhecida, a apneia do sono é uma das maiores causas para que muitos portugueses não consigam dormir bem, sofrendo diversos problemas de saúde ligados aos maus hábitos de sono. Conhecer os sintomas e o que envolve esta perturbação é essencial para poder diagnosticá-la e tratá-la.

O que é o Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono?

O Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono, normalmente chamada simplesmente apneia do sono, é uma perturbação respiratória na qual obstruções repetitivas da garganta ocorrem durante o sono. Essas obstruções fazem com que o ar fique bloqueado, provocando pausas respiratórias de pelo menos 10 segundos. É a essas pausas respiratórias que se dá o nome de apneia.

Esse impedimento do ar passar com normalidade, faz com que a pessoa seja obrigada a despertar para conseguir voltar a um ritmo respiratório normal. Cada apneia provoca portanto um despertar, o que faz com que seja difícil, para quem sofre desta perturbação, ter um sono profundo e reparador.

Riscos e consequências da apneia do sono

A apneia do sono, para além de provocar maus hábitos de sono, está ligada a diversos problemas cardíacos. Sendo que a apneia do sono provoca na pessoa um efeito parecido a de uma maratona constante, visto que a os acordares constantes provocam várias oscilações da oxigenação no sangue, o risco de sofrer de doenças como a aterosclerose ou a hipertensão arterial é maior.

Pessoas que já sofrem de doenças cardíacas, mesmo que em tratamento, ao sofrerem de apneia do sono veem aumentar o risco de morte, pois esta perturbação está associada a uma deterioração das funções cardíacas.

Como diagnosticar a apneia do sono?

O diagnóstico da apneia do sono é feito tendo como base o historial clínico do paciente. Alguns sintomas como ressonar ou sonolência excessiva durante a noite são tidos em conta durante a análise. É realizado um teste de registo de sono (polissonografia) para diagnosticar definitivamente a existência ou não da doença no paciente.

O teste de registo de sono é realizado num laboratório de sono supervisionado por técnicos especializados. O paciente dorme a noite inteira nesse local e, durante todo o sono, é realizado um diagnóstico. São medidas as ocorrências de apneias ou hipopneias (obstruções próximas de apneias), sendo assim possível medir o grau de apneia do sono do paciente.

Qual é o tratamento da apneia do sono?

O tratamento para a apneia do sono consiste em manter as vias respiratórias abertas, para tentar facilitar a circulação do ar e para que este não fique bloqueado e interrompido durante o sono. Existem atualmente alguns aparelhos que, ao serem colocados no nariz ou na boca, permitem ao paciente conseguir respirar normalmente durante a noite.

Fazer com que o paciente diminua comportamentos e fatores de risco como consumo de álcool (sobretudo à noite), fumar ou ainda diminuir a obesidade e excesso de peso são também medidas que, numa primeira fase, são levadas a cabo para tentar diminuir a apneia do sono.

Em casos mais extremos, existem operações que tentam corrigir as anomalias sobretudo a nível do nariz, faringe e palato.

A apneia do sono é uma perturbação respiratória comum e para a qual muitas pessoas não procura diagnóstico e tratamento. Saber quais são os sintomas é importante para reconhecer a doença e procurar o tratamento certo para começar a ter um sono de qualidade.

Um sono de má qualidade tem várias implicações para a saúde, algumas imediatas e outras a longo prazo. Partilhe este artigo e divulgue os sintomas e informações relativas à apneia do sono para poder ajudar a que mais pessoas tenham uma boa noite de sono.

Deixe o seu comentário