netflix

É pouco provável que o leitor nunca tenha ouvido falar do Netflix. Contudo, nem toda a gente saberá imediatamente de que é que se está a falar quando nos referimos a esta empresa e aos serviços que ela oferece.

Começando pelo aspecto mais essencial, o Netflix oferece um serviço de distribuição de conteúdos audiovisuais, um pouco como qualquer canal de televisão normal.

Mas, neste caso, essa distribuição é feita por streaming, o que significa que o seu modo de funcionamento pressupõe o uso da internet para que um utilizador consiga aceder à programação. Este acesso é efectuado através do uso de uma plataforma virtual onde os já referidos conteúdos estão alojados, e a partir da qual se tornam acessíveis.

O que é o Netflix e qual a sua história?netflix

O Netflix é uma empresa norte-americana criada nos anos 1990, no estado da Califórnia, que tem vindo a ganhar uma importância cada vez maior como alternativa viável ao uso da televisão. Através de qualquer ecrã conectado à internet, os utilizadores deste serviço podem aceder a uma grande variedade de conteúdos, sobretudo de ficção, de forma ilimitada, em troca de uma assinatura mensal (e respectivo pagamento).

Sendo um serviço em acentuado crescimento, o Netflix conta já com cerca de 65 milhões de assinantes espalhados pelo mundo e prepara-se para entrar também, muito em breve (fala-se no mês de Outubro como hipótese), no mercado português. Citando apenas dois exemplos, para se ter uma ideia, do seu catálogo de conteúdos constam séries tão reputadas e bem sucedidas como House of Cards, Orange Is the New Black ou a mais recente Better Call Saul.

Netflix – algumas questões a colocar

Considerando a iminência da chegada deste serviço de grande sucesso ao nosso país, impõe-se, desde logo, uma série de questões, pelo menos se nos queremos assegurar de que optar por este serviço seja uma escolha compensatória.

Será que a Netflix conseguirá assegurar em Portugal uma programação cuja qualidade seja comparável à dos Estados Unidos?

Como se implantará esta empresa no nosso mercado? Conseguirá aguentar-se, ou será que se vai transformar rapidamente num flop? Terá ou não sucesso? Valerá a pena experimentar um serviço que pode até nem chegar a resultar, correndo o risco de desaparecer do mercado tão depressa quanto entrou nele?

Qual será o preço do serviço? Haverá vários tipos de pacote e diferentes limites? Até que ponto serão eles diversificados?

Em que medida conseguirá satisfazer os desejos do público nacional? Até que ponto poderá atender e responder às especificidades e ao interesse dos consumidores portugueses?

Será que alcançará um equilíbrio entre estes desejos e uma oferta diversificada e de qualidade?

Variedade, flexibilidade e legalidade: as vantagens do Netflix

Em larga medida, a resposta a estas e outras questões terá muito a ver com o próprio consumidor, com os seus gostos e as suas expectativas em termos de conteúdos, tanto em termos de televisão como de cinema.

Se o leitor for fã de séries e filmes, mas não tiver um interesse assim tão grande quanto isso pela experiência de assistir a um filme numa sala de cinema, o Netflix pode muito tornar-se uma opção muito interessante.

Neste aspecto, o Netflix é um serviço que apresenta bastantes vantagens em relação à televisão normal.

Um destes aspectos prende-se com uma programação de qualidade assinalável.

Uma pesquisa rápida no google permitirá ao leitor perceber muito rapidamente do que estamos a falar. Não apenas nos sites directamente relacionados com a empresa, mas também numa multilplicidade de blogs que não têm nenhuma ligação ao Netflix, é quase sempre possível encontrar várias listas com o melhor da programação num dado momento do tempo.

De facto, não é nenhum exagero dizer que algumas das melhores séries, filmes e telefilmes do momento estão disponíveis por streaming através do netflix.

Por outro lado, as vantagens do Netflix não se esgotam por aqui. Talvez seja ainda mais relevante o facto de o espectador poder ver os conteúdos que deseja ver quando quer vê-los. Assim, ao contrário do que acontecia tradicionalmente, torna-se possível acompanhar uma série ao nosso próprio ritmo (House of Cards, por exemplo, é uma série em que todos os episódios ficam disponíveis desde o início).

Outro argumento ainda a ter em conta no caso do Netflix é o facto de ser um serviço totalmente legal, ao contrário da maioria dos sites de streaming espalhados pela world wide web. Isto significa que se está a cumprir totalmente a lei ao utilizar este serviço, mas também que cada assinante está a dar o seu contributo para que os criadores deste tipo de conteúdos possam continuar a fazê-lo de uma forma economicamente viável.

Netflix – a concorrência (ou os rumores)

Ultimamente, não é só a chegada do Netflix ao nosso país que tem sido objecto de vários rumores. Também se fala, ainda que de forma não oficial, de outros gigantes a nível mundial, como a apple e a amazon, por exemplo. Estes, segundo algumas fontes, poderão estar a preparar serviços de streaming semelhantes ao Netflix. Contudo, neste momento, essas notícias não passam mesmo de hipóteses, de burburinhos que se vão ouvindo por aí.

A juntar a tudo isto, convém mencionar ainda que também alguns operadores de comunicações e televisão portugueses podem apresentar, num futuro não tão longínquo quanto isso, ainda outras alternativas.

Apesar de nenhuma destas hipóteses estar solidamente confirmada, se o leitor preferir ser um consumidor mais cauteloso, talvez valha a pena esperar pela chegada da concorrência. Valerá pelo menos a pena estar atento a algumas publicações (sobretudo online), que volta e meia se vão debruçando sobre estes assuntos.

Netflix: o detalhe essencial – quanto custará afinal?

Já reunimos aqui algumas informações que lhe permitirão perceber melhor se o Netflix português será uma escolha adequada para si. Contudo, ainda não falámos daquele “pormaior” decisivo: o preço.

Infelizmente, neste momento, esta informação ainda não se encontra disponível, pelo menos de forma oficial. Isto não quer dizer que não circule já informação sobre o assunto neste momento. Quer dizer apenas que esta não será assim tão fiável. Pelo menos, será possível obter algumas indicações acerca do preço que provavelmente estará associado à assinatura do Netflix.

Se usarmos os Estados Unidos como referência, podemos perceber que o preço da assinatura mensal do Netflix(em streaming) começa nos 7,99 dólares. Esta quantia equivale ao pacote mais básico, mas existem mais duas escolhas: um plano de 8,99 dólares e outro de 11,99 dólares.

Já se observarmos o intervalo de preços em todos os países em que o netflix está disponível à escala global, ele vai dos 5 aos 20 dólares.

Em princípio, não haverá grandes motivos para esperar que o Netflix seja muito mais caro em Portugal. Dependendo do seu rendimento, dos seus gostos e da oferta de conteúdos disponibilizados no nosso país, quem sabe se não valerá a pena ir acompanhando as novidades que vão chegando a público acerca deste serviço?

Pode começar por aqui: Netflix em Portugal: nada fechado, tudo em aberto. Até o preço (SAPOTEK)
… ou por aqui: Fomos conhecer a próxima revolução da TV em Portugal (pplware)

Se for acompanhando os nossos artigos, também é bem possível que se cruze com alguma informação nova acerca deste tema.

Texto da autoria de Bernardo Ferreira

Se gostou do que leu, partilhe com os seus amigos...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here