obsoloscencia-programada

A bateria do seu iPod “morreu” ao fim de 18 meses de uso, a sua impressora bloqueou ao fim x impressões, as lâmpadas fundiram ao fim de 1000 horas…? Hoje trago-lhe uma possível explicação para esses “fenómenos”!

Foi após assistir a um surpreendente documentário da RTVE, que decidi escrever este artigo. Comprar, tirar, comprar é um vídeo com cerca de 50 minutos repleto de factos polémicos e muito interessantes sobre… obsolescência programada!

Obsolescência programada é uma estratégia de negócio em que a obsolescência (o processo de tornar-se obsoleta, fora de moda ou não utilizável) de um produto é planeada para ele desde a sua concepção.

Na Wikipédia, obsolescência programada está definida como…

Nome dado à vida curta de um bem ou produto projetado de forma que sua durabilidade ou funcionamento se dê apenas por um período reduzido.
Faz parte de uma estratégia de mercado que visa garantir um consumo constante através da insatisfação, de forma que os produtos que satisfazem as necessidades daqueles que os compram parem de funcionar ou tornem-se obsoletos em um curto espaço de tempo, tendo que ser obrigatoriamente substituídos de tempos em tempos por mais modernos.

PROGRAMADA PARA MORRER

Tudo começou por uma simples lâmpada, a primeira vítima da obsolescência programada!
Na década de 1920, numa época em que as lâmpadas podiam durar mais 2500 horas, um cartel de fabricantes decidiu que elas não deveriam durar mais do que 1000 horas. E porquê?

Recomendo vivamente que, tal como eu fiz, assista na íntegra ao documentário onde é revelado como a obsolescência programada definiu as nossas vidas desde os anos 20 quando os fabricantes começaram a diminuir a vida útil dos produtos para aumentarem as vendas!

Agora sente-se confortavelmente e assista atentamente a este vídeo que certamente não o deixará indiferente:

Pode também ler mais sobre este tema e sobre este documentário em particular, aqui: Comprar, tirar, comprar

Por favor partilhe a sua opinião sobre este controverso tema nos comentários a este artigo.

9 COMENTÁRIOS

  1. — Excelente esclarecimento. Infelizmente é o qque está a dar… actualmente já não compensa comprar artigos caros, pois, estão programados para durarem pouco. Que vergonha! Devem pensar que estamos a "nadar em dinheiro". Isto a ser verdade deveria ser considerado crime de burla, ou seja por "vender gato por lebre"!!!

  2. lol. eu ha tempos tive uma surpresa dessas quando ia para utilizar a minha impressora e apareceu uma mensagem a dizer k a mesma tinha chegado ao fim de vida. fikei de boca aberta

  3. Famosa é a historia que conseguiu com algo muito simples aumentar as vendas da Colgate: aumentar a saida do dentifrico. Saindo mais gastava-se mais logo aumentavam as vendas. Algo tão simples programado para gastar mais depressa o produto e o consumidor nem nota a minima diferença no consumo da pasta

  4. Arranjam cada truque…
    Até na pasta de dentes. Nas lâmpadas, isso já era conhecido.
    E, eu acho que 18 meses para uma bateria não é muito tempo. Mas se o iPod for comprado novo não tem de ter dois anos de garantia?

  5. Por exemplo o burnin feito as lampadas e aos chips para alem de tornarem o produto mais fiavel no período de garantia. A chamada curva da banheira os produtos quando sao comprados ja estao a meio da vida ….

    Fiabilidade vs Longevidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here