5 Dicas para Contornar as Exigências dos Seus Filhos

loja-peluches 5 Dicas para Contornar as Exigências dos Seus FilhosEstudos recentes mostram que 6 em cada 10 mães atendem às exigências dos filhos nas compras. Isso significa que mais de metade das famílias cedem por impulso a comprar brinquedos, jogos ou vestuário para os seus filhos, mesmo que a maioria reconheça que está a agir erradamente e que, na maior parte dos casos, os filhos continuam insatisfeitos após a compra.

Especialmente a partir de uma certa idade, as crianças tornam-se exigentes e, numa ida às compras, é normal que reforcem os pedidos de “quero” e “compra-me”. Além disso, a sociedade capitalista e de consumo massificado de hoje em dia estimula esse comportamento, através da publicidade na televisão e na internet.

Cabe portanto aos pais controlarem este ímpeto e reeducarem os seus filhos numa política de compras mais criteriosa. No entanto, sabemos que isso nem sempre é fácil. Por isso, aqui ficam 5 dicas para o ajudar a contornar as exigências dos seus filhos na altura das compras.

1. Crie uma lista de desejos

Estimule o seu filho a criar uma lista com os brinquedos e jogos que gostaria de ter no futuro. Essa lista, que deve ser atualizada de tempos a tempos de forma a adequar-se aos gostos e às exigências da criança à medida que vai crescendo, pode ser utilizada pelos pais nas épocas festivas, no seu aniversário ou em qualquer outra altura em que decidam comprar um brinquedo ou outro objeto.

Este processo ajuda a criança a estabelecer prioridades, a escolher critérios e a perceber o que realmente quer, sem ceder ao simples impulso do “quero” e do “compra”. Pode e deve participar neste processo, fazendo-o perceber as razões porque escolher determinado objeto em detrimento de outro. Além disso, deve encorajar ainda o seu filho a incluir na lista objetos não-materiais também.

2. Estabeleça limites

Estabelecer limites é sempre positivo na educação e no crescimento do seu filho e este caso também não é exceção.

Mesmo que ainda seja muito novo para perceber máximos e mínimos relacionados com os preços dos brinquedos e jogos, o seu filho pode entender outro tipo de critérios no momento de colocar limites.

Por exemplo, na sua lista de desejos, estabeleça um máximo de um brinquedo, um jogo, um livro e uma peça de vestuário. Ao ter que fazer esta escolha, a criança estará a perceber as limitações da sua escolha e criará as suas próprias prioridades dentro da sua lista de desejos.

3. Fale com o seu filho sobre dinheiro

Mesmo que o seu filho seja demasiado novo para entender certos conceitos, não tenha receio em abordar a questão do dinheiro.

Falar sobre os assuntos ajuda a desmistificá-los. Além disso, pode estabelecer uma mesada, para estimulá-lo a gerir o dinheiro e a poupar, assim como determinadas recompensas, de modo a motivar comportamentos positivos.

No entanto, essas recompensas não devem ser exageradas nem usadas como chantagem, do género “se limpares o teu quarto recebes uma moeda”. As crianças devem entender os seus deveres e os seus direitos e arrumar o quarto não é, certamente, algo pelo qual devam ser pagos.

4. Não tenha medo de “desapontar” o seu filho

Muitos pais cedem às exigências dos filhos com receio de os desapontar. No entanto, deve ser forte, não ter receio de dizer “não” e estabelecer limites. Ao ceder uma e outra vez, vai acabar por entrar numa espiral em que depois será impossível parar.

Seja sensato e, consequentemente, o seu filho também o será. Explique-lhe porque não pode comprar determinados brinquedos e objetos, não se limite apenas a negar. Lidar com o desapontamento é também positivo no processo de crescimento da criança.

5. Foque-se em colecionar momentos, não objetos

É importante que o seu filho perceba que mais importante que os objetos materiais são os momentos e as recordações.

Passar tempo com os amigos e com a família é tão ou mais importante do que receber o brinquedo da moda ou o jogo que todas as crianças têm. Fale sobre isso, organize momentos especiais nas festividades, convide amigos para irem lá a casa… Quando crescer será a estas pequenas coisas que o seu filho irá dar valor. 😉

Comentários

comentários

2 respostas

  1. Noelia Filipe diz:

    Que tal dizer, o meu ordenado é “x” a renda da casa Y, agua, electricidade, supermercado …. tendo em conta que se pode ficar doente…. sobra Y-1 o que queres é mesmo essencial (adaptar esta conversa a idade)? Tenho um filho com 6 e outra com 3, ainda não tive uma guerra de eu quero!! e vão comigo para todo o lado!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Receba este Ebook Grátis!

Ao subscrever a nossa Newsletter (100% gratuita), para além de receber este ebook, ainda passará a ser alertado via email para:

  • Dicas de poupança
  • Dicas sobre formas de obter rendimentos extra
  • Passatempos e outras ofertas exclusivas
Fechar esta janela

Não perca mais tempo. Envie-nos o seu email e em breve estará a ver como valeu a pena!

Não se preocupe, o seu endereço de email nunca será divulgado a terceiros.