3 formas e 6 cenários como uma VPN ajuda a poupar dinheiro online

Alguns exemplos de como uma VPN pode ajudar a economizar, encontrando preços mais baixos na internet.
VPN

Costuma pensar-se numa VPN (“Virtual Private Network”, ou rede privada virtual) como uma ferramenta para garantir privacidade, a ser utilizada por ativistas políticos que enfrentam ditaduras ou governos autoritários, ou por especialistas em cibersegurança. Essa é uma visão bastante reduzida do que uma VPN pode fazer, já que uma das vantagens principais é permitir poupar dinheiro!

Vejamos em seguida três formas e seis cenários concretos em que uma VPN ajuda a economizar.

Invista em segurança mais barata para poupar em segurança mais cara (e prejuízos)

As ciberameaças têm vindo a crescer ao longo dos anos e a consciência relativamente às mesmas também. Longe vão os tempos dos pífios ataques de spam, o “príncipe da Nigéria” virou uma piada.

Os ataques de phishing e de engenharia social, levando à instalação de silencioso malware em telemóveis e computadores, estão muito mais sofisticados. Os routers têm vindo a ser considerados como os pontos fracos das redes, podendo um hacker apoderar-se de um router para aceder aos equipamentos que a ele se ligam.

Uma VPN ajuda a manter a privacidade do utilizador, dificultando a terceiros o acesso às suas mensagens e aos seus aparelhos. É mais barata que complicados sistemas antivírus e muito mais barata que os prejuízos que um ciberataque pode causar.

Procure preços fixos, e não de “feira”

Imaginemos um mercado de rua em que o cliente pergunta o preço de um produto. Dá uma volta pela feira e acaba por voltar à mesma banca, constata que o feirante pede-lhe agora um preço um pouco mais alto. Nem sempre os feirantes são agressivos no regateio, mas é um facto que os preços podem flutuar.

As lojas online são bem mais agressivas que os feirantes, graças ao uso de cookies. Implantando estes microficheiros no browser do utilizador, a loja consegue perceber se é a primeira ou a segunda vez que recebe a visita do internauta. Se for a segunda, o preço a mostrar será mais alto, e o cliente, se estiver realmente interessado, acabará por pagar.

Uma VPN permite contornar o problema dos cookies e aparecer à loja online como um cliente novo, a quem se mostra o preço de base mais barato.

Procure preços de cliente local, e não de “estrangeiro”

O mesmo princípio se aplica em zonas turísticas onde o vendedor cobra preços diferentes consoante identifica o cliente como nacional ou estrangeiro (e assumindo que este tem mais poder de compra). O endereço de IP associado a um computador ou telemóvel identifica o país de onde vem o internauta, de forma a que o site de e-commerce lhe possa apresentar o preço específico para esse país.

Com uma VPN é possível ultrapassar essas limitações e encontrar o preço mais barato.

Seis casos concretos em que uma VPN pode ajudar a poupar

Vejamos em seguida seis casos concretos em que uma VPN pode ajudar a encontrar os preços mais baixos. Recorde-se que existem 4 formas através dos quais os sites podem monitorizar os seus utilizadores: cookies, endereço IP, rede Wifi (os dados da rede Wifi que estiver a utilizar) e localização GPS (caso esteja ligada no telemóvel ou tablet).

Bilhetes de avião

O preço da reserva de bilhetes de avião pode mudar consoante o país de origem do visitante do site. Dependendo da companhia e do voo em questão, as diferenças de preço podem chegar aos 50 euros.

Além disso, se o site anunciar que se trata de um preço flutuante, é bem provável que no próximo acesso ao site já surja um valor maior a pagar.

As companhias aéreas low-cost aplicam frequentemente preços flutuantes, segundo o princípio de que o preço é tanto mais barato quanto mais lugares estiverem disponíveis em determinado voo. Mas com o uso de cookies, a subida de preço não se explica pelo facto de entretanto terem sido reservados mais lugares – mas sim porque a companhia aérea deteta que o internauta está mesmo interessado em reservar.

Hotéis e alojamento

O caso dos hotéis é muito semelhante aos das companhias aéreas, uma vez que as empresas “jogam” com o mesmo princípio de reservas de um número limitado de espaços. Uma VPN permite-lhe ver preços “reais” e não inflacionados com base no conhecimento que a empresa tiver do utilizador.

Gaming

Os preços de videojogos não sofrem tanto como nos dois exemplos anteriores, pois não se trata de reservar um bem limitado mas sim de aceder a um serviço. Ainda assim, é habitual haver preços consoante a origem do comprador.

Aluguer de carros

A situação que se verifica no caso das companhias aéreas e dos hotéis pode também acontecer em rent-a-cars, nomeadamente de grandes multinacionais do setor.

Subscrições de serviços

Serviços como o Apple Music ou o Microsoft Office também podem surgir com preços diferentes consoante a origem do utilizador.

Supermercados e retalho

Mas não é preciso ir aos grandes sites multinacionais para encontrar estes exemplos. Os sites dos grandes supermercados nacionais também são perfeitamente capazes de influenciar o preço, principalmente no caso de promoções que se supõe serem temporárias.

Talvez lhe interesse:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.