Opte por Cozinhar para um Batalhão

Pode poupar muito tempo e energia optando por cozinhar em maiores quantidades. Conheça as vantagens de "cozinhar para um batalhão"!
panela-comida

Gosto de cozinhar, de experimentar uma receita nova e até mesmo de inventar um pouco na cozinha. Mas muitas vezes não tenho vontade nem de fritar um bife!

Por isso, cá em casa adquirimos um método que para além de ser bastante prático, ainda se revela muito económico… cozinhar para um batalhão!

O que pretendo sugerir, é que, sempre que possível, cozinhe grandes quantidades dos alimentos que consome com maior frequência e congele-os.

Ou seja, imagine que vai cozinhar uma refeição para duas pessoas. Então, aumente a quantidade dos ingredientes como se fosse para umas 6 ou mais pessoas, retire o que pretende consumir de imediato e divide em porções o que restou.

Congele essas porções – pode até colocar uma etiqueta com a data em que a refeição foi elaborada e uma descrição do conteúdo (exemplo, “carne de vaca estufada com batata – 22 de janeiro” ).

alimentos no congelador
Congele as suas refeições já prontas de modo a ser só necessário descongelar e aquecê-las. Poupará tempo e energia elétrica.

Se utilizar este método sempre que se sentir com paciência para cozinhar, em breve terá várias refeições prontas armazenadas na arca frigorífica (convém é que esta seja espaçosa). As vantagens na minha opinião são óbvias.

Naqueles dias em que está cansado e esfomeado, é só ir à arca escolher uma refeição, descongelá-la e aquecê-la. De preferência permita que a refeição descongele naturalmente, para evitar consumir energia ao descongelar.

Para além disso, é mais económico do ponto de vista energético ligar o fogão ou forno uma única vez e cozinhar para um “batalhão” do que ter de o ligar várias vezes para cozinhar pequenas quantidades.

Claro que nem todas as refeições podem ser congeladas, use o bom senso e faça um bom planeamento das suas refeições.

Gostou desta sugestão? Já utilizava este método?

Talvez lhe interesse:

42 respostas

  1. Ideia fantástica!
    Eu já fazia com algumas sopas… mas nunca pensei em fazer com outros pratos… Mas, realmente, é viável da mesma forma 😉
    Vou ter isso em conta quando estiver com vontade de cozinhar… Mas verificar antes se a minha arca frigorífica está desocupada!

  2. Esta é uma prática que temos cá em casa so ha uns meses mas que tem dado muito jeito.
    Alem de poupar energia, tambem é optimo quando se chega tarde a casa sem tempo para cozinhar e é so ir a arca tirar uma caixinha e aquecer. é um maximo.
    No entanto devemos ter sempre o cuidado de colocar a dita etiqueta, e nunca fazer quantidades para congelar em demasia, caso contrario podemos-nos esquecer delas e acabam por se estragar.

  3. Olá Miguel,
    Gostei deste teu post e vou deixar-te aqui uma ideia que ainda não vi.
    Para além de congelar assim os alimentos, também podem congelar pequenas quantidades de sobras, que depois servem para outros pratos.
    Deixo alguns exemplos:
    Talos da alface ou uma batata cozida que sobrou, podem-se congelar-se para fazer sopa;
    Um resto de vinho ou tomates muito maduros, para refogados;
    Fruta como laranja ou limão, aromatizar água (líquidos) ou refrescar sumos (gelo);
    Restos de carne, podem-se guardar, até ter suficientes para quiches ou rissóis;
    Couros de presunto, aromatizar arroz ou massa;
    etc

  4. De facto esta dica de cozinhar e congelar é muito útil. Só que na minha casa não funciona. Já fiz varias tentativas para porem curso esta sugestão, mas o meu marido não come comida congelada de maneira nenhuma. Esta é uma batalha emquesaio derrotada, pois janao tenho argumentos para dar a volta à questão.

  5. Eu costumo cozinhar os almoços para o meu namorado levar para o trabalho, e cozinho sempre a mais, mas em casa somos 3 agora, não compensa cozinhar em grandes quantidades, os produtos perdem qualidade de sabor a meu ver 😉

  6. Aqui somos só dois mas quando é estufados, faço em quantidade, assim gasto menos gás. Dá sempre para comer, ele leva para o trabalho no dia seguinte, depois congelo e dá para mais uma ou duas refeições. Também não faço muitoooo pois p congelador é pequeno e também acho que não há necessidade mas ajuda naqueles dias que é sempre a correr

    1. Não muito, compro carne e peixe semanalmente, porque acho que a carne depois de pelo menos duas semanas, perde qualidade em sabor 😉

    2. Fresca faço como a Joana. Vou comprando no dia a dia e se congelar no máximo 2/3 semanas e é pouca coisa, mais para desenrrasque. Comida confecionada no máximo 2 semanas. Mas isto porque somos só 2 e vou planeando as refeições. É mesmo para aqueles dias a correr ou que há imprevistos. Quando fui operada valeu a comida que tinha congelada, o marido safa-se na cozinha mas tinha pouco tempo depois do trabalho. Além que congelo as sobras para depois aproveitar

  7. Prefiro deixar no frigorífico a comida, a não ser que seja carne e depois faça alguma lasanha com ela, são as únicas alturas que congelo comida feita

  8. Nunca tenho mta pq tenho receio de depois ganhar sabor ou nao ficar do meu agrado depois de descongelar pq acho sempre que ja nao e a mesma coisa sera paranoia mha?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.